Troca de óleo: 5 pontos a considerar

Troca de óleo: 5 pontos a considerar

Você sabia que a troca de óleo é um dos processos mais importantes na manutenção de um automóvel? Pois é! Normalmente negligenciada, essa tarefa tem papel vital na conservação das peças de um carro, especialmente do motor, e pode ser a diferença entre um veículo que tem muitos anos de idade, mas que ainda trabalha muito bem, e outro que é até mais novo, mas já apresenta vários problemas.

Para quem quer conservar o valor do carro e ter mais vantagens na hora da revenda, ou mesmo para quem quer evitar problemas com o automóvel no dia a dia, é importantíssimo saber quando e como fazer a troca de óleo da maneira certa e recomendada pelos fabricantes. Isso ajudará a manter o veículo funcionando por mais tempo, de maneira mais conservada e com menos dores de cabeça.

Quer saber como fazer a troca de óleo do seu carro? Então, veja alguns pontos a considerar sobre o assunto a seguir!

1. Entenda para que serve o óleo do motor

O óleo é usado para lubrificar todas as partes móveis do motor do carro, como os pistões e o virabrequim. Essas partes precisam da lubrificação pois estão em constante movimento e, assim, podem se desgastar sem esse apoio. Além disso, o óleo é um elemento que ajuda a reduzir as temperaturas do motor (ocasionadas pela combustão do gás combustível). Nesse caso, ele divide essa tarefa com a água do motor.

Portanto, deu para entender que o óleo tem uma função muito importante, não é mesmo? Sem ele, seu motor pode sobreaquecer ou começar a ter desgaste em peças importantes. Ou seja: sem o óleo, seu motor pode parar de funcionar. E o gasto para consertar isso pode ser de dezenas de milhares de reais. Portanto, vale muito mais a pena trocar o óleo com frequência, não é mesmo? E por falar nisso…

2. Veja o prazo certo para a troca de óleo

A troca de óleo deve acontecer em intervalos específicos, dependendo do carro em si. Isso porque cada automóvel tem maiores ou menores exigências em relação ao fluido. Portanto, precisa de um produto mais ou menos resistente.

Normalmente, os intervalos para trocar o óleo vão de 5 mil a 20 mil quilômetros rodados em termos de quilometragem ou de 6 a 12 meses em tempo de uso, o que vier primeiro. É importante ter em mente que o óleo tem validade natural. Ele pode perder suas propriedades se ficar tempo demais dentro do seu automóvel e isso gera consequências negativas, como a borra no motor e muito mais. Por isso, mesmo que você não tenha rodado 5 mil quilômetros quando chegar no vencimento em 12 meses, por exemplo, troque o óleo assim mesmo.

3. Troque o filtro de óleo também

Só trocar o óleo não é o suficiente para proteger o seu motor. É importante trocar o filtro do óleo também sempre que fizer a troca. Isso porque o filtro acumula sujeiras que irão contaminar o novo lubrificante assim que ele for utilizado. 

Muitos motoristas (e até alguns mecânicos) sugerem trocar o filtro a cada duas trocas de óleo. No entanto, do ponto de vista econômico, isso não faz diferença, já que o filtro é muito barato. Já do ponto de vista mecânico, mesmo o filtro de um óleo só estará contaminado e vai diminuir a validade do novo lubrificante imediatamente.

4. Siga as recomendações do manual do proprietário

Na hora de escolher qual óleo comprar para o seu carro, siga as determinações especificadas pelo manual do proprietário do seu automóvel. Isso porque existem óleos com diversas especificações de viscosidade e aditivação. 

Entre a viscosidade, por exemplo, existem opções como 5W30, 15W40 e 20W40. Cada um é recomendado para determinados modelos de motor e podem ser mais ou menos fluidos, dependendo da configuração. 

Além disso, os óleos também podem ser sintéticos, semissintéticos ou minerais, com os primeiros sendo mais caros e duradouros e os últimos mais baratos e menos duradouros.

5. Use o tipo de óleo certo para o seu combustível

Por fim, não esqueça que o óleo do motor estará em contato com os gases combustíveis do motor. Por isso, existem óleos que são feitos para motores a gasolina e etanol e outros feitos para motores a diesel.

Os gases do diesel são diferentes dos gases da gasolina ou etanol. Por isso, o óleo do diesel pode não resistir ao outro motor e vice-versa. Por isso, use apenas o lubrificante indicado para cada carro.

Agora que você já sabe como lidar com a troca de óleo do seu carro, está preparado para cuidar do seu veículo do jeito certo. Lembre-se de que esse é um dos processos mais importantes da manutenção de um automóvel e tem impacto gigantesco na conservação do seu carro. Não trocar o óleo com frequência pode ser justamente a origem dos problemas que você encontra nele, por exemplo.

E aí, gostou do conteúdo e quer ver mais dicas para cuidar do seu carro? Então siga nossa página no Instagram e curta nossa página no Facebook!

Desenvolvido por Inside Digital
ATENDIMENTO
(48) 3240 4900
WHATSAPP
(48) 3380 7900
E-MAIL
clique aqui
ORÇAMENTO RÁPIDO