Câmbio automático ou manual: como escolher?

Câmbio automático ou manual: como escolher?

Ao comprar um novo automóvel, é normal ficar em dúvida sobre algumas das funções e características do veículo. Normalmente, todos os motoristas consideram o custo e o trabalho de manutenção de cada modelo antes de fazer a compra. Nesse aspecto, é comum pensar na escolha entre câmbio automático ou manual, por exemplo. Afinal, esse elemento afeta tanto a qualidade da direção do veículo, quanto o trabalho de revisão e conserto depois.

Por isso, é importante considerar bastante se você comprará um carro com câmbio automático ou manual, e como esses dois elementos afetarão seu bolso, seu tempo dentro do automóvel, suas preferências pessoais e muito mais. Mas como fazer essa comparação? O que deve ser analisado na hora de escolher entre esses dois tipos de câmbio de um veículo?

Para saber como escolher entre câmbio automático ou manual, siga a leitura abaixo!

O que é e como funciona um câmbio manual?

O câmbio manual é o sistema mais antigo e tradicional de troca de marchas dentro de um automóvel. Na prática, o sistema é composto por um conjunto de engrenagens dentro da caixa de embreagem que controlam o torque gerado pelo motor, aumentando ou diminuindo a potência enviada para as rodas.

Para operá-lo, o motorista tem a embreagem à sua disposição, que consiste em um pedal que acessa a caixa e permite alterar a configuração das engrenagens com a manopla que fica do lado do banco do motorista.

Ao movê-la e colocá-la nas posições específicas, o motorista muda de marcha e passa a ter mais ou menos potência para ultrapassar desafios ou aumentar a velocidade de locomoção.

O que é e como funciona um câmbio automático?

O câmbio automático, por sua vez, funciona com uma série de discos montados na parte mecânica do automóvel. Nesse caso, o motorista não tem acesso ao pedal da embreagem, e a troca de marchas é feita pelo próprio sistema, de acordo com a configuração inicial escolhida pelo motorista. 

Basicamente, ele pode selecionar as opções D (drive, dirigir em inglês), P (park, estacionar em inglês), R (reverse, ré em inglês) e N (neutral, neutro em inglês). Alguns automóveis ainda contam com as opções L (low, marcha reduzida em inglês) e S (sport, modo esportivo). 

Ou seja, o motorista coloca em uma dessas opções e pronto, não precisa fazer mais nada.

Outros tipos de câmbios

Além do automático e do manual, ainda existe no mercado brasileiro com bastante destaque o câmbio CVT. Criado no Japão e muito popular nos automóveis feitos lá, o sistema CVT usa uma série de correias e um cone hidráulico (parece um sistema de bicicleta, por exemplo). Na prática, o carro conta com marchas infinitas, já que a correia pode sempre andar para frente ou para trás. É um sistema interessante e pseudo-automatizado, embora não seja exatamente assim.

Como escolher entre câmbio automático ou manual?

Agora que você já conhece as principais opções de câmbio no mercado brasileiro, precisa entender como escolher entre elas.

Em termos de manutenção, o câmbio automático e o manual se diferem em dois pontos específicos: a quantidade de ação necessária e o custo dessas ações.

O câmbio manual é o que tem a manutenção mais barata. Afinal de contas, é mais tradicional e praticamente todas as oficinas do mercado sabem lidar com ele. Basta ir até a de sua preferência e contar com o apoio dos profissionais de lá. No entanto, ele também é menos durável do que o automático e pode dar mais problemas, especialmente se não houver alguns cuidados básicos.

Já o câmbio automático é bem mais durável do que o manual e apresenta menos problemas no geral. No entanto, ele tem uma manutenção corretiva mais cara, pois nem toda oficina sabe como trabalhar com a sua complexidade. 

Em relação ao custo de manutenção, é uma questão de equilibrar durabilidade e custo: o que dura mais, também é mais caro na hora de trocar peças. Por isso, o automático é o melhor para quem cuida mais do veículo e previne problemas, enquanto o manual é o melhor para quem não ficará com o carro no longo prazo.

Além desses fatores, existem ainda outros elementos relacionados à qualidade de direção. Confira:

  • o câmbio manual dá mais controle e liberdade para quem sabe dirigir;
  • o câmbio automático é mais fácil para quem está aprendendo;
  • o manual exige mais do motorista;
  • o automático tira um pouco o prazer de dirigir.

Pronto! Agora que você sabe como escolher entre câmbio automático ou manual, já pode decidir qual a melhor opção para você na hora de comprar um novo carro. Lembre-se de que a manutenção do automóvel tem um peso enorme na sua escolha. Por isso, é importante ter o apoio de uma oficina mecânica que execute um bom trabalho e saiba como lidar com as particularidades de cada componente do seu veículo.

E aí, gostou do conteúdo? Quer receber mais dicas de como cuidar bem do seu carro? Então curta nossa página no Facebook e siga nosso Instagram agora mesmo!

Desenvolvido por Inside Digital
ATENDIMENTO
(48) 3240 4900
WHATSAPP
(48) 3380 7900
E-MAIL
clique aqui
ORÇAMENTO RÁPIDO