whatsapp
X
 

Os 5 principais problemas que prejudicam a vida útil do pneu

Muitas pessoas procuram saber qual a vida útil do pneu antes de comprá-lo, a fim de calcular o preço com base na quantidade de tempo que a peça será usada.

Por exemplo, um pneu de R$-500 que dure 1 ano custaria, em média, R$-42 por mês. 

Entretanto, não é assim que se calcula a vida útil de um pneu, já que a quantidade de tempo que ele trabalhará dependerá de uma série de fatores.

Seja quanto tempo for, sempre há a possibilidade de esticar um pouco mais o tempo de trabalho de um pneu, isso se o motorista se importar em cuidar dele.

Abaixo, listamos os principais problemas que diminuem a vida útil dos pneus para que você possa cuidar bem dos seus. Continue a leitura!

1. A calibração pode matar a vida útil do pneu

O elemento mais conhecido por desgastar um pneu e, portanto, diminuir sua vida útil é a calibração. É por isso que é importante ficar de olho e verificar se os pneus estão bem calibrados.

Um pneu com pressão em excesso ou de menos vai se “deformar” durante o uso e gastar mais ou menos em uma parte específica.

Por exemplo, um pneu com pressão em excesso faz com que apenas a parte central da peça toque no chão. Assim, o desgaste do pneu fica concentrado na faixa central, com as bandas livres.

O centro se desgasta muito mais rápido do que o normal e, consequentemente,  a vida útil do pneu diminui. 

Já com pressão de menos, acontece o contrário: são as laterais que se desgastam e o centro fica conservado.

Por isso, monitore constantemente a pressão interna dos seus pneus e mantenha-os calibrados conforme indicação do fabricante.

2. Os hábitos do motorista diminuem a durabilidade

Ninguém gosta de ouvir isso, claro, mas talvez a razão para a baixa vida útil dos seus pneus seja você mesmo.

Existem certos hábitos de motoristas que ajudam a diminuir a durabilidade dos pneus e fazem com que seja necessário trocá-los com maior frequência.

Um exemplo disso é estacionar com o pneu encostado no meio-fio. Se você tem esse hábito, melhor deixá-lo de lado.

Estacionar dessa forma causa uma grande pressão no pneu. Essa pressão, por sua vez, danifica a câmara interna da peça e pode rompê-la.

Se a câmara romper, vaza a pressão e forma bolhas no pneu. Um pneu com bolhas deve ser trocado imediatamente, sob o risco de explodir e causar um acidente.

Tome muito cuidado ao dirigir. Nunca pare apoiado no meio-fio e não suba a calçada. Quando passar por uma lombada, passe com os dois pneus de cada eixo ao mesmo tempo e em linha reta.

Enfim, cuide dos pneus para que eles durem mais tempo e você não precise gastar mais dinheiro para substituí-los.

3. O desalinhamento das rodas pode acabar com o pneu

As rodas de um carro precisam estar perfeitamente alinhadas para que o veículo rode normalmente, sem nenhum tipo de problema.

A questão é que nem todo mundo confere o alinhamento das rodas. No máximo, essa verificação é feita quando vai pegar a estrada para sair de férias com a família.

É importante checar o alinhamento das rodas regularmente, de acordo com as instruções do fabricante. Normalmente, recomenda-se fazer o alinhamento a cada 10 mil ou 5 mil quilômetros rodados.

4. Buracos na rua são perigosos para os pneus

Até o momento, todos os riscos que diminuem a vida útil do pneu são controláveis, ou seja: estão sob sua responsabilidade.

Entretanto, nem todo fator que prejudica a durabilidade de um pneu é assim. Às vezes, estão fora do nosso alcance, como os buracos na rua, por exemplo.

Não tem como controlar quando ou onde haverá um buraco. O que podemos controlar é maneira como passamos por ele.

O ideal é contornar o buraco e não expor os pneus a ele. Se não for possível, então tente passar muito devagar e com muito cuidado para não causar um choque entre o pneu e o buraco.

Esse cuidado é necessário, já que a segunda causa mais comum para o aparecimento de bolhas em um pneu é passar em alta velocidade por um buraco. Isso causa um choque que pode romper a câmara interna da peça.

5. Excesso de carga pode diminuir a vida útil do pneu

Uma das informações que está na etiqueta colada na lateral do pneu é referente à carga máxima que a peça suporta sem sofrer danos.

O pneu recebe uma classificação numérica que determina a capacidade máxima que ele consegue suportar. Uma peça com nota 100, por exemplo, aguenta até 800 quilos.

Normalmente, os pneus para carros comerciais (os mais comuns) variam de 70 a 100, com os pneus para SUV, ônibus e caminhões ganhando outras classificações.

Sendo assim, busque saber qual a carga máxima permitida no seu carro e não a ultrapasse. Dessa forma, você conserva a vida útil do pneu do seu veículo.

Agora que você já conhece os 5 principais problemas que diminuem a vida útil do pneu do seu carro, pode começar a cuidar melhor dele para não ter que trocá-lo com muita frequência. Assim, você poupa dinheiro. Não é ótimo?

Se você gostou deste conteúdo, curta nossa página no Facebook para acompanhar os posts que fazemos por lá!

Deixe um comentário

Seu comentário será enviado para moderação.

Desenvolvido por Inside Digital
×